De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio é a quarta maior causa de mortes de jovens entre 15 e 29 anos. Além disso, ainda segundo a OMS, em 2019, mais de 700 mil pessoas morreram por suicídio no mundo. 

A partir desses dados divulgados, podemos refletir sobre a importância de campanhas de prevenção e conscientização acerca do suicídio. Dessa forma, reforçar campanhas como o Setembro Amarelo associada à educação podem ser um grande passo para mudar tal realidade preocupante. 

O que é o Setembro Amarelo?

O Setembro Amarelo é uma ação que visa prevenir e reduzir os casos de suicídio no Brasil, além de informar e conscientizar sobre o assunto. A campanha acontece durante o ano todo pelo país. 

A campanha Setembro Amarelo acontece anualmente, desde 2014, realizada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM).

Embora seja uma campanha nacional, a ação acontece em setembro por conta do dia 10, que é considerado o Dia Mundial da Prevenção ao Suicídio, implementado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Neste período, a campanha é reforçada entre instituições privadas e públicas, movimentos sociais, escolas, universidades, governos, como uma forma de aderir mais visibilidade à pauta.

Por que falar sobre isso?

Crianças conversando

A saúde mental deve ser pautada, principalmente quando estamos falando sobre o ambiente escolar. Pois, são em locais como esses, que o indivíduo desenvolve os seus aspectos cognitivos, emocionais e físicos. 

Com uma educação baseada no cuidado com a saúde mental desde os primeiros anos de vida, é possível, juntamente com as campanhas de prevenção, formar cidadãos mais informados, empáticos e conscientes sobre a importância de cuidar da saúde mental.

Como abordar no ambiente escolar?

Sendo um agente transformador, a educação pode ser um importante aliado à prevenção ao suicídio. Principalmente, porque, em muitos casos, por falta de informação, o indivíduo não procura ajuda profissional especializado em psicologia ou psiquiatria.

Dessa forma, dentro da escola, criando espaços para abordar e debater sobre o assunto. Palestras, seminários e capacitações são formas de conseguir promover o diálogo acerca da temática entre alunos, pais e professores. 

Além disso, ao lado dos pais e responsáveis, incentivar atividades que estimulam o desenvolvimento das habilidades socioemocionais, e visibilizar maneiras de divulgar sobre causas, sintomas e tratamentos de transtornos psicológicos.

Portanto, campanhas como o Setembro Amarelo, contra o bullying e de integralização entre alunos, podem ajudar a alcançar uma mudança no mundo e prevenir casos de suicídio.

 

 

Curtiu? Compartilhe esse post! Para saber mais dicas, acompanhe o Colégio Extensivo no Instagram (@colegioextensivo)!

Sobre o(a) autor(a): Colégio Extensivo

Compartilhe

Deixar um comentário

Artigos relacionados

Leia tudo em nosso blog